Arquitetura e Design
Remodelações: alguns aspetos a considerar

Remodelar uma casa antiga pode ser uma opção, desde que sejam considerados alguns aspetos 

Cada vez mais se reconhece as vantagens de estar no centro das cidades, por razões de centralidade e facilidade de acessos e mobilidade. No entanto, quando se pretende proceder a uma remodelação, há que ter em atenção alguns fatores importantes: cruciais... 
  • A Estrutura 
Este é, sem dúvida, um dos elementos mais importantes. Se houver zonas danificadas o custo da obra poderá aumentar, mas esta deve ser uma parte da obra que não se pode descurar. A estrutura é normalmente um elemento que não está à vista, e o facto de se intervir a nível de execução de novos revestimentos, sem fazer a verificação da estrutura, não resolve o problema, apenas o adia. A título de exemplo, numa estrutura de madeira, se os barrotes estiverem apodrecidos nas paredes ou sob os tetos, causarão inevitavelmente o aparecimento de humidades e/ou o desprendimentos de rebocos.
      
É preciso também uma especial atenção quando se retiram paredes, para aumentar as áreas das divisões, pois muitas vezes em casas mais antigas elas cumprem uma função estrutural importante de contraventamento. Esta questão é especialmente importante nos pisos inferiores (rés-do-chão e primeiros andares), visto estes estarem sujeitos às cargas do resto do edifício. Existem algumas maneiras interessantes de contornar a questão. De qualquer modo, quando se retiram paredes é fundamental garantir uma nova forma de reforço e sustentação dos pisos superiores. 
  • Os Rebocos 
Muitas vezes, os rebocos utilizados em intervenções de reparação são, por falta de informação, exclusivamente de argamassa de cimento, que não são de modo algum compatíveis com as alvenarias de pedra que normalmente compõem as paredes dos edifícios mais antigos.

É preciso ter atenção em respeitar os materiais existentes, utilizando argamassas bastardas (com uma percentagem inferior de cimento e com cal), as quais permitem que a parede processe as trocas de vapor de água. 
  • As Tintas
De igual modo, as tintas que se utilizam em paredes de alvenaria de pedra, não devem ser impermeabilizantes. As tintas plásticas que muitas vezes se utilizam não permitem a "respiração” das paredes, causando inevitavelmente, problemas de condensação interiores e fazendo com que a tinta "salte” ao fim de pouco tempo.
  • Canalização
Muitas vezes é uma parte descurada numa obra e é de uma importância extrema. As canalizações antigas podem ser em materiais atualmente considerados perigosos, como o chumbo, e normalmente não têm dimensão e caudal suficiente para o número de aparelhos utilizados atualmente (máquinas de lavar roupa e loiça, aumento do número de casas de banho, etc.). 
  • A Instalação Elétrica
Este tipo de instalações estão normalmente desatualizadas e são perigosas, principalmente se considerarmos os padrões de segurança atuais que são obviamente mais exigentes.

Uma grande parte das vezes nenhuma das tomadas tem terra e a alimentação é a mesma para tomadas e iluminação. Muitas vezes a instalação elétrica não está isolada e convive muito de perto com zonas de humidade.
  • A Cobertura
Em qualquer construção, e especialmente numa antiga, a água é um "inimigo” a evitar. Assegurar que a cobertura está em bom estado é um passo importante para evitar aborrecimentos, mesmo que o andar que se pretenda remodelar não seja no último piso.  
  • Os Pavimentos
O facto de serem colocadas betonilhas pesadas sobre os pavimentos existentes de madeira para assentar mosaico em cozinhas e instalações sanitárias, causa um aumento de cargas desnecessário e perigoso para a estrutura do prédio. Neste caso uma solução possível será armar os pavimentos com redes de aço e usar betonilhas leves.
  • Estado do Prédio em Geral
Talvez tão importante como o estado do apartamento em si, é o estado o prédio onde se insere. Como é óbvio, quanto melhor for o estado do prédio, menos hipóteses de problemas terá no futuro.      
Este facto é verdadeiro também para as infraestruturas. As canalizações e a eletricidade comuns do edifício é outro fator a ter em atenção.


Basicamente, tudo o que se desejar pode ser realizado, desde que seja devidamente acompanhado por técnicos especializados.
Só as intervenções cuidadas e qualificadas permitem rentabilizar o investimento da remodelação, permitindo evitar a situação recorrente do aparecimento de problemas (infiltrações, humidades, fendilhação em paredes e tetos, etc.) pouco tempo após a intervenção.


Fonte: iKAZA - Projectos on-line