Casa-de-Banho: Remodelar?
Decorar a casa pode ser uma tarefa animadora e neste artigo pretendemos facilitar o seu processo de decisão, para evitar que cometa erros dispendiosos.

Porquê remodelar?
Sente-se confortável com a sua casa de banho? Identifica-se com ela? Decorá-la pode ser uma tarefa desanimadora, mas com este artigo pretendemos facilitar o seu processo de decisão, de uma forma divertida e original.

Remodelar o quê?
As casas-de-banho com cores fortes saíram de moda na última década e, para muitas pessoas, as loiças brancas e "simples” são agora uma exigência. De qualquer forma, se não deseja que a sua casa de banho pareça fria e com um ar impessoal, utilize o espaço das paredes e os azulejos para lhe injetar um pouco de cor, de padrão e de interesse.

Um novo look no pavimento ou nas paredes e a casa de banho parecerá um espaço novo. Não precisa mesmo de investir muito dinheiro para que se sinta sempre bem na sua casa de banho.
O antigo cruza-se com o novo em casas de banho em qualquer parte por isso não tenha receio de misturar tijolos de vidro com superfícies de mogno, ou mosaicos com padrões vitorianos. Para um efeito tradicional não há nada melhor que os azulejos brancos, especialmente se forem assentes ao estilo ziguezagueado dos tijolos e rematados com azulejos coloridos.

As casas de banho modernas também aceitam a combinação  de azulejos brancos com alguns azulejos coloridos para lhes dar destaque. Elabore os seus próprios padrões simples ou com azulejos coloridos. Se os azulejos forem totalmente brancos, dê vida à sua casa de banho nas louças e toalhas. Aposte em cores coloridas, alegres e que combinem entre si.

Os tijolos de vidro funcionam bem se quiser criar uma divisória, talvez entre o duche ou a sanita e o resto da casa de banho, sem perder a impressão de espaço ou restringir a luz.

De seguida deixamos-lhe algumas sugestões para remodelar na sua casa de banho.
 
As Paredes
Se quiser remodelar as paredes da sua casa de banho, estude primeiro o resultado final que pretende. Haverá certamente várias maneiras para lá chegar, certifique-se que opta pelo mais eficaz. Oferecemos-lhe de seguida algumas sugestões do tipo de transformação que poderá fazer.

Estucar
  • Estuque Gesso: É o mais comum dos estuques, produzido com pedra de gesso moída, endurece quando misturada com água criando uma boa superfície para paredes de interior: Os estuques de gesso-base são pré-misturados com brita fina e só se junta água quando se vai utilizar. 
  • Estuque Cal/Cimento: Era o que se usava antes do aparecimento dos estuques de gesso. Os estuques de cal e areia eram usados para camadas - base e os de cal pura para acabamentos. Os estuques - base de areia constituídos em cal ou cimento têm de ser misturados na altura com areia fina. 
  • Estuque de uma só camada: Pode ser comprado já misturado ou em tubos para misturar. Para grandes áreas compre sacos grandes de estuque e misture com água na altura. Para restauros, os estuques pré - fabricados são ideais. Antes de se aplicar o estuque deve-se preparar a superfície com um agente de ligação, tal como PVA, que irá melhorar o poder de aderência do estuque. Uma superfície de baixa absorção, tal como tijolo ou betão, deve ser coberta com uma mistura de uma parte de PVA para cinco de água. seguida de uma camada de quatro partes de PVA para uma de água. O estuque deve ser aplicado com o agente de ligação ainda húmido.
Revestimento com Betão
O betão (mistura de cimento, brita e areia) pode ser misturado e aplicado diretamente em casa ou comprado em placas, blocos e ladrilhos. Tradicionalmente era usado sob os pavimentos ou em áreas utilitárias, mas atualmente o betão é encerado, texturado e pintado transformando-o num tipo de chão ou parede muito atual.
Revestimento com Ladrilhos
Em paredes, soalhos ou até tampos de mesas, os ladrilhos são decorativos, versáteis e práticos. Usados para cobrir superfícies inteiras ou isoladamente para dar um destaque especial, os ladrilhos oferecem intermináveis possibilidades de se introduzir cor, padrão e textura, tanto por si próprios como pela forma como são combinados. 

Existem vários tipos de ladrilhos:
  • Ladrilhos Cerâmicos: São apropriados para paredes e soalhos, mas se a escolha for para pavimento certifique-se de que compra uns suficientemente  fortes para esse fim. Esses ladrilhos podem ser frios e escorregadios se estiverem húmidos, mas são de qualquer forma um acabamento prático e atrativo. 
  • Azulejos de parede: São normalmente cerâmicos. Existem em numerosos formatos, apesar de os quadrados e os retangulares ainda continuarem a ser os mais comuns.

  •  Mosaicos-pastilha: Coloridos e muito na moda, são um acabamento muito atrativo para qualquer coisa, desde tampos de mesa e compartimentos de duche a pequenas áreas de pavimento. O único ponto prático a considerar é que há inevitavelmente muita argamassa para manter limpa, de forma a prevenir a descoloração e a proliferação de germes (apesar de já existirem materiais anti - fungos para juntas).
Aglomerados de Pedra (compósitos)
A composição destes produtos baseia-se em agregados de granitos inertes claros que asseguram uma  eficaz resistência à erosão, dureza ao risco e à flexão em combinação com a facilidade de tratamento, manutenção e aplicação. Graças à sua estrutura, luminosidade e às cores disponíveis, estes são apropriados para o uso em cada tipo de aplicação.

O Pavimento

Ladrilhos de Soalho
Podem ser cerâmicos ou feitos de matérias naturais, como a pedra ou a ardósia. Os naturais, normalmente são quadrados ou retangulares, enquanto os de cerâmica podem ter formatos muito mais variados.
Para pavimentos neutros e naturais, a pedra e a tijoleira são uma muito boa opção. O mundo natural oferece uma inimaginável variedade de cores, padrões e texturas de tal maneira que dois ladrilhos nunca serão iguais e o efeito é sempre intemporal. Os ladrilhos são também a forma mais fácil e barata de assentar um chão de pedra, visto serem mais leves e mais finos do que as lajes ou lousas. Os ladrilhos podem ser feitos à máquina ou manualmente, podendo ser vidrados, estampados ou lisos. A desvantagem dos ladrilhos é que são frios, barulhentos e escorregadios quando estão molhados.   
Basicamente os ladrilhos que escolher irão depender do seu orçamento, da cor e da textura desejadas assim,  poderá optar entre variados tipos de ladrilhos: Tijoleira, Granito, Calcário, Grés, Mármore, Ardósia ou Cantaria.
 
Pavimentos em Madeira
  • Soalhos em Pinho: Um soalho tradicional especialmente popularizado em casas de cidade antigas e casas de campo. Afagadas, tingidas, branqueadas ou envernizadas, as tábuas de pinho oferecem uma superfície resistente ao desgaste e de longa duração que até melhorará com a idade. Devem ser combinadas com tapetes para se obter mais calor e conforto. 
  • Parquet: Embora associado ao mobiliário, o parquet faz uma cobertura de madeira para o chão com bonitos padrões e dá um estilo Art-Deco ao espaço. Encerado, deixa ver as cores naturais da madeira. Deve ser usado em vestíbulos, salas de estar (com tapetes) e salas de jantar. 
  • Madeira Nova: O assentamento de soalhos de madeiras novas permite obter um acabamento ajustado mais suave do que as originais tábuas de soalho podem dar. Este tipo de revestimento conjuga-se com quase todos os tipos de interiores, mas é especialmente indicado para preencher espaços modernos. Tem de ser afagado e envernizado depois de colocado, mas pode ser periodicamente afagado e envernizado para renovação do seu bom aspeto, tornando-o numa elegante e duradoura superfície. 
  • Madeira Laminada: A maior parte dos laminados não é recomendável para casas de banho ou outras áreas onde pode ficar muito molhado e sofrer grandes alterações de temperaturas. Mas é uma alternativa bastante mais barata em relação aos revestimentos sólidos de madeira para soalhos. A vantagem de um bom soalho laminado é ser extremamente resistente a nódoas, cortes e queimaduras de cigarro, a sua desvantagem é não poder ser afagado quando se estraga. É muito apropriado para casas modernas, em vestíbulos, salas de estar, salas de jantar e quartos. 

Pavimentos de Vidro
Embora muito caro, é usado em espaços interiores modernos para criar a impressão de um espaço sem chão, paredes ou tetos quando usado conjuntamente com divisórias de vidro e tetos. Usa-se, normalmente, o vidro temperado, espesso e macio, que necessita de um tratamento antiderrapante, como seja um banho corrosivo, para o tornar seguro.

As Canalizações
Antigamente as canalizações eram feitas em chumbo. Por este material durar muito pouco tempo, em Portugal o ferro galvanizado tornou-se no material mais utilizado, podendo apenas ser usado em paredes e tetos falsos. 
Os plásticos também já começaram a ser utilizados, no entanto existem algumas reservas porque não existe uma comercialização estável dos produtos, podendo causar algum descontentamento caso seja necessária alguma substituição. Este material pode ser colocado no pavimento pois corre numa manga. As mangas têm que ter diâmetros que permitam "puxar" as tubagens e ângulos largos.

Comparativamente, entre o Ferro e o PEX, poder-se-á dizer que há uma redução entre os diâmetros (aproximadamente 15mm em ferro e 12 a 13mm em PEX).

Ao colocar o Pex, deve-se começar por colocar as mangas e só depois as tubagens. Recomenda-se que, no caso do ferro galvanizado, as tubagens andem a cerca de 45 Cm do pavimento e subam aos aparelhos, e não o contrário.

Quanto ao ferro galvanizado, as dificuldades são: 
  • Estar mal galvanizado 
  • Obriga a muito tempo de montagem 
  • Corrosão das Canalizações
  • O cobre é muito bom em comportamento térmico e por isso é utilizado em aquecimentos centrais. O dimensionamento do sistema em Pex utiliza os mesmos métodos que para o ferro galvanizado.
Zonas de Banho:
Nas recuperações faz todo o sentido a utilização de cabinas de duche, fechadas, de maneira a garantir a estanquidade.

Loiças:
De uma forma geral as descargas ao pavimento (sanitas e lavatórios) apresentam menos problemas hidráulicos e de manutenção que a descarga à parede.



Fonte: iKAZA - Projectos on-line