Espaços da Casa: Closet
Um closet, ou "espaço de arrumação”, tem como objetivo tornar mais simples a vivência numa casa, criando uma certa organização.

Cada vez mais é frequente ouvirmos falar em closets. Se para algumas pessoas, esta opção é uma realidade distante, para outras é algo tão natural, que não se imaginariam a sua vida sem esta poderosa ajuda.

Como
O primeiro passo para definir um closet é qualificar e quantificar a arrumação que necessita. Adultos e crianças têm formas diferentes de usar os seus espaços e, naturalmente, os objetos que têm de arrumar são diferentes.

Ainda assim existe um denominador comum, transversal à idade: a tendência para acumular coisas – roupas, sapatos, antigos livros de escola, brinquedos etc. Decidir o que deve ou não manter pode ser um exercício penoso, mas absolutamente prioritário. É sensato pensar que algo que se não usa há alguns anos, não faz falta...

O pré-dimensionamento do novo espaço permite pensar nas várias hipóteses para a sua localização. Atualmente, o mais frequente é o closet estar integrado ao quarto, mas cada casa é única, assim como as necessidades da cada pessoa. Existem assim outros lugares onde se pode implementar um espaço de arrumação: uma divisão da casa menos usada (como uma segunda casa de banho), parte de uma garagem ou escritório, uma despensa, um sótão ou arrecadação, um hall, são algumas possibilidades.

Uma das vantagens de um closet é a de ele acumular as funcionalidades de várias peças de mobiliário, habitualmente presentes num quarto ou divisão, permitindo assim fugir ao vulgar layout de cada móvel encostado a uma parede, com uma ocupação exagerada e muito pouco espaço livre.

Materiais
Um closet, aqui associado ao conceito "walk-in", é geralmente construído como uma estrutura permanente e adaptada a determinada divisão, mas poderá fazer sentido que seja pensado como desmontável, passível de ser colocada noutro local no futuro. Se a intenção for dividir um espaço de forma "permanente” o recurso a paredes de gesso cartonado é o mais comum.

Outras hipóteses são a madeira, o MDF ou o aglomerado de madeira, que são indicadas também para as estruturas desmontáveis. 
Se este ficar dentro de casa, a madeira e o aglomerado são a melhor escolha, pois garantem uma boa resistência aos esforços, a fixação de ferragens e acessórios é relativamente fácil e permitem uma grande diversidade de acabamentos.

Portas
Existem diversas soluções de fecho para portas, que são geralmente sistemas metálicos (em alumínio, aço inox ou latão), em plástico ou mistos:
  • de abrir ou "varrer” – utilizando vários tipos de dobradiças; 
  • de correr – utilizando calhas tipo "slide" onde as folhas correm paralelas, ou em linha onde as folhas deslizam sem se sobreporem; 
  • em fole – utilizando uma guia e corrediça, em que as folhas recolhem dobrando-se; 
  • de persiana – utilizando calhas verticais, onde a porta corre e recolhe enrolando.
Em matéria de revestimentos e acabamentos o leque de possibilidades é vasto, dependendo tudo do gosto e do investimento que se pretende realizar. Estas são apenas algumas ideias interessantes:
  • laminado: a folha de madeira ou a fórmica colorida; 
  • espelho serigrafado; 
  • vidro foscado incolor ou pintado; 
  • colagem de impressão em vinílico.
Interior
No que diz respeito ao sistema interior, se planear de forma certa e objetiva, pode conseguir arranjar arrumação para tudo, desde casacos, malas, acessórios ou até mesmo as roupas da casa. O segredo é ver mesmo que espaço a sua casa oferece, o que tem para arrumar, o que pode deitar fora e ver o que realmente necessita para o seu dia-a-dia.

Com algum trabalho e paciência, vai conseguir proporcionar arrumação para tudo o que necessitar, alcançando o equilíbrio necessário para que viva bem. Deixamos aqui algumas sugestões que o podem ajudar a atingir esse equilíbrio um pouco mais rápido:

  • É frequente reservarmos algum espaço para as peças compridas como sobretudos ou vestidos, quando na realidade a maioria das peças de vestuário que penduramos são calças, camisas ou saias, que apenas ocupam entre 95 e 105 cm em altura, permitindo ter zonas com dois níveis de varão ou prateleiras;
  • Distribua nas prateleiras mais altas objetos que não usa diariamente, como roupa da estação seguinte, malas de viagem, carteiras, etc.;
  • Liberte espaço junto ao chão para os sapatos,  estes poderão ser dispostos numa prateleira, geralmente com uma ligeira inclinação, ou colocados em acessórios próprios permitindo arrumar mais pares em menos espaço; 
  • Organize a roupa por tipo de peças, por estilo (casual ou formal) e por cores.
Dependendo da área disponível, aconselha-se que determine uma zona para colocação de uma banqueta ou chaise-longue, como apoio, para melhor desfrutar do novo espaço.


Fonte: iKAZA - Projectos on-line