Espaços da Casa: Hall de Entrada
O espaço de entrada numa casa diz muito sobre ela. É nesta divisão que se formam as primeiras impressões dos visitantes, visto que é a primeira coisa que vêem...

O hall de entrada, por ser um espaço de circulação, é muitas vezes ignorado ou esquecido. Mas tendo em conta que é a sua "porta de entrada”, convém que reflita o seu estilo, personalidade e gostos, de modo a que os seus visitantes se sintam confortáveis.

Que elementos colocar neste espaço?
Por não ter uma função muito marcada, em termos funcionais, este espaço pode ter ambientes muito diversificados, consoante os gostos e preferências de cada um, até porque é um espaço que normalmente apresenta configurações muito variadas.

É primordial começar pela parede em frente á porta – é um dos primeiros elementos que se vêm a partir da entrada. Pode-se usar papel de parede, cores, tecidos e até um espelho. A opção do espelho é bastante interessante, pois permite aumentar a noção de espaço numa divisão pequena. Além disso, se acreditar no Feng Shui, o espelho permite repelir as más energias que podem querer entrar na casa pela porta de entrada.

Em termos de mobiliário, faz sentido uma simples mesa de apoio ou a um aparador, que permitam ter um espaço onde poisar, e arrumar, aqueles objetos que não conseguimos deixar de ter na entrada, como as chaves, o correio, alguma coisa para levar à saída, etc. Se o espaço o permitir, pode mesmo ter algumas cadeiras para receber visitas breves, ou onde possa ter pessoas à espera caso trabalhe a partir de casa. Se tiver essa oportunidade, este pode ser o espaço para ter alguns objetos únicos – uma otomana, uma pequena mesa de apoio antiga, a escrivaninha do avô, uma consola com imagem diferente, etc..

Em países com climas mais frios, onde se tem por hábito tirar os sapatos e casacos ao entrar em casa, este espaço é tradicionalmente dotado de um armário ou bengaleiro. É mesmo frequente a presença de um aquecedor, que permite secar a roupa e calçado da rua, mantendo quente o que se for vestir ao chegar a casa. Não tendo o nosso país um clima rigoroso, pode fazer sentido um elemento na entrada que permita esta troca de roupa nas entradas e saídas, eventualmente complementado por um espelho para nos ajudar a "compor” a imagem à saída… Acima de tudo, prevendo a presença deste elemento acautelam-se necessidades de arrumação.

A evitar
Como são na sua maioria espaços pequenos, é necessário ter alguns cuidados. 
As cores fortes nas paredes devem ser ponderadas, por poderem criar a sensação de estreitamento e diminuição da área deste espaço. 

A iluminação não deverá ser forte demais, correndo o risco do espaço parecer asséptico, principalmente se conjugado com muitas paredes brancas. Uma iluminação quente ajuda a criar atmosfera num espaço que se quer acolhedor. A utilização de abajures que confiram alguma cor à luz pode ser interessante.

Existe uma tendência para colocar tapetes, mas isto deve ser feito com algum cuidado. Os tapetes resultam muito bem em espaços amplos, de modo a conferirem a sensação de conforto, mas em espaços pequenos e com uma circulação acentuada não são aconselháveis. Não só podem tornar o espaço mais pesado, como estão sujeitos a um maior desgaste e a criar acidentes.

Seja qual for a escolha, este espaço precisa de estar em harmonia com os outros espaços da casa e com a identidade de quem a habita. Ele dá-nos a primeira ideia do que iremos encontrar no resto da casa.


Fonte: iKAZA - Projectos on-line