Espaços da Casa: Playground
O playground é, por definição, um espaço onde as crianças podem brincar livremente. É um espaço que as ajuda a crescer, e onde pode acompanhar as crianças nas brincadeiras, estimulando-as a descobrir novos mundos. 
Preferencialmente deveria haver um espaço na casa, destinado para as brincadeiras dos mais pequenos, contudo, como é natural, devido ao tamanho das casas, este espaço acaba por ser apenas uma parte da sala, do quarto da criança.

Projetar um espaço tendo as crianças em mente permite criar um ambiente seguro para elas, acabando por prevenir estragos nas mobílias, que não foram especificamente criadas para um uso mais "agressivo”.
De uma forma geral, desde que mantenha o espaço simples, fácil de limpar e arrumar e seguro para os mais pequenos, pode dar asas à sua criatividade.
  • Mobiliário
As crianças devem poder criar o seu próprio mundo neste tipo de divisão, por isso o espaço deve ser o mais livre possível. Lembre-se sempre de que o mobiliário deve ser adequado à idade da criança – não só por causa do tamanho, mas também das utilizações previstas. Uma criança que esteja no 1º Ciclo já precisa de um pequeno espaço de trabalho mais estruturado…
É essencial um espaço de "trabalho”, para fazer puzzles ou pintar. Uma pequena mesa pode ser uma peça interessante – de cores vivas ou formas infantis. Junto da mesa podem existir assentos, sejam eles cadeiras ou bancos, ou então a mesa pode ser pensada para as crianças se sentarem no chão.

Muitas vezes existe uma aparelhagem, televisão ou leitor de DVD nestes espaços e para os mais velhos computador e consolas de jogos. Sugerimos a criação de uma zona de armário que permita fechar estes equipamentos quando não estão a ser utilizados, quer para os proteger de brincadeiras mais animadas quer para não se tornarem o foco de atenção privilegiado do playground.

A arrumação é um fator importante, quer por questões de segurança e educação deve fomentar nos seus filhos, ainda mais se o espaço for partilhado com a sala ou o quarto de dormir. Jogos, carrinhos, bonecos ou legos, podem ser separados em caixas ou gavetões, com identificação por cores ou imagens e mais tarde mesmo por etiquetas com a designação dos respetivos brinquedos.
  • Brincadeiras
O playroom é, claro, um espaço de brincadeiras, por isso o ideal é deixar bastante espaço livre, que permita às crianças criar os seus próprios jogos e brincadeiras. Usar os brinquedos implica desarrumá-los, e para isso é preciso algum espaço de "manobra” e uma área delimitada – para que a desarrumação não se estenda a outros espaços da casa.

Existem já todo o tipo de peças de decoração especificamente infantis – peças essas que podem ocupar algum espaço, principalmente se forem elementos como escorregas, que implicam uma "área de segurança” mais alargada. No entanto, são elementos que se podem tornar mágicos para as crianças. Existem os clássicos escorregas e baloiços, agora em plástico e outros materiais mais leves e seguros, com as cores e formas mais variadas. Mobílias em miniatura permitem criar todo o tipo de cenários – da cozinha ao supermercado, com todos os  acessórios. Existem também novas peças: tendas que são também castelos, casas de brincar, túneis de pano e montanhas de espuma.
  • Materiais
Tenha o cuidado de escolher mobiliário fácil de limpar e que seja seguro, de modo a que não magoe a criança. O mobiliário lacado ou laminado é uma boa opção – é relativamente barato, bastante resistente e lavável.

Se tiver possibilidade de escolher o pavimento, este deverá ser de preferência lavável, macio e confortável – uma escolha possível é o pavimento flutuante. Em alternativa existem no mercado vários tapetes infantis, em linóleo e com várias imagens, ou mesmo peças de encaixe em espuma (com letras, números e outros). Cuidado com as alcatifas que tendem a acumular pó, o que pode potenciar alergias.

As paredes também são um ponto sensível, recebendo frequentes pancadas ou sendo alvos de jovens artistas. Mas são também um ótimo sítio para criar alguma animação visual. Não se iniba de utilizar cores estimulantes nestes espaços (verdes claros, azuis...), em grandes blocos ou com desenhos, tendo em atenção que as crianças são particularmente sensíveis às cores mais agressivas. A aplicação de papel de parede, ou em alternativa painéis de vinil, permite de alguma maneira proteger a parede, sendo mais fácil de limpar.
  • Flexibilidade
Lembre-se que as crianças crescem, e o que são obstáculos hoje podem ser necessidades amanhã. Um espaço para crianças deve ter a capacidade de crescer com elas – berços que passam a camas, mesinhas a secretárias, peluches a bandas desenhadas, desenhos animados a jogos de computador, de modo que não esteja constantemente a mudar de mobília, e para ser também mais económico.
  • O Exterior
Se a sua casa tem alguma zona exterior, estimule a criação de uma área para as crianças, salvaguardando as questões de segurança. Construa com os seus filhos uma casa na árvore ou um abrigo. Traga o playground para o exterior, longe das consolas e dos DVD's.

Não se esqueça de prestar especial atenção à vedação de piscinas e poços, caso os tenha.


Fonte: iKAZA - Projectos on-line