Viver em apartamentos com animais

Ter um animal em casa é muito bom! Dá alegria e companheirismo, educa e cria responsabilidades, mas também dá muito trabalho! Uns mais que outros, mas a verdade é que é uma grande responsabilidade, assume um grande compromisso da nossa parte e, por isso, é uma decisão que deve ser bem pensada!

Não é só a sua rotina (e orçamento) que sofrem alterações. A sua casa, também terá de mudar e de se adaptar ao seu novo melhor amigo, seja ele cão ou gato.

A verdade é que se viver numa casa grande e espaçosa, ter um animal de estimação não causa assim tanto impacto, mas se viver num apartamento, as condições nem sempre são favoráveis.


Primeiro, escolha bem a espécie e a raça do animal que mais se adequa ao tamanho da sua casa, dos seus móveis e até aos membros da sua família. Não se esqueça que se viver num apartamento e quiser um labrador será necessário criar a rotina de o levar a passear de manhã e a noite, pelo menos durante meia hora.

Outro aspeto importante que deve ter em conta é o chão. Os cães escorregam e sentem frio, pelo que se tiver um chão rústico é melhor. Se não for o caso, coloque umas passadeiras ou tapetes.

Aqui, até a cor do chão pode ajudar. O ideal é ter um chão mais em tons de bege para esconder eventuais manchas que possam aparecer e de materiais que sejam de fácil limpeza.

É, igualmente importante pensar no funcionamento da casa, na disposição dos móveis, nos detergentes ou outros objetos que possam magoar o animal. Lembre-se que no início é como ter um bebé e todos os cuidados são poucos.

No entanto, não pense que a casa será "dominada” pelo seu animal. É importante criar limites, barreiras desde logo inicio. Mas não se esqueça que o animal o vai ver como parte da família e quer a sua companhia.

Antes de comprar ou adotar um animal, pesquise sobre a raça e sobre o seu comportamento. Se adotar, opte por um animal mais velho. Assim já sabe que será calminho e que os estragos na casa não vão ser muitos.

Se for fã de gatos, tenha atenção aos sítios onde se podem esconder e aos armários que podem abrir.

Tenha, também, atenção às flores ou ervas que tenha em casa. Consulte o seu veterinário para ver se tem alguma que seja venenosa para o animal.

O que não se pode esquecer é que os animais precisam de espaço. Seja cão ou gato, todos eles devem ter o seu espaço próprio para dormir, para comer, para brincar, etc. Algo que é apenas deles. Para além disso, precisam de companhia - não devem ficar sozinhos muito tempo.

Se for mais de cães, mesmo que more num apartamento grande e espaçoso pense duas vezes antes de ter um cão de raça grande. Grande parte das raças grandes foram criados para caçar, proteger e ajudar o Homem. Quando o cão passa muito tempo sozinho e não tem como satisfazer essas necessidades primárias, não se surpreenda se ele descarregar a sua frustração no seu apartamento.

Mesmo os cães de raça pequena podem dar problemas se não forem bem tratados ou bem educados. Se conseguir leve-o à rua 3 vezes ao dia, durante meia hora. Quanto mais cansado, mais tranquilo e calmo ele fica em casa.

Se não houver outra alternativa e o seu cão tiver mesmo que ficar sozinho, coloque sempre à sua disposição brinquedos e ossos para ele roer. Para além de o entreter, evita problemas comportamentais e também que ele se vingue nos seus móveis.

Lembre-se que, independentemente da raça do seu animal, todos os cães sofrem uma mudança de pêlo pelo menos duas vezes por ano. Nessas alturas, tenha sempre à mão o aspirador, se não quiser ver a sua roupa e móveis completamente cheios de pêlo.

Não se esqueça que, mesmo que o seu cão faça as necessidades todas fora de casa, tem de arranjar um sítio no seu apartamento que ele possa usar como casa de banho, porque segurar a urina até que alguém chegue e o leve a passear, pode criar doenças doenças renais e infeções urinárias.

Hoje em dia, morar num apartamento não é impeditivo para ter uma animal de estimação. Apenas tem de ser uma escolha consciente.